6 meses

Parece que esse mês foi mais leve que os outros…não sei explicar! Acho que foi uma mistura dele estar interagindo cada vez mais (então o bônus da maternidade fica cada vez maior e mais distante do ônus), com a viagem que fizemos, ter voltado a trabalhar algumas vezes na semana, ter saído à noite sozinha pela primeira vez, ou o sono ter melhorado um tiquinho…

Vamos por partes…

Comportamento: ele está cada vez mais apegado a mim e já senti alguns sinais da tal “angústia de separação”! Com isso, ele está mamando com mais frequência e voltou ao hábito que eu adoro de dormir no peito (ao contrário do que dizem algumas consultoras de sono, eu acho essa a associação mais positiva que existe! Além de ser mais fácil para mim do que ficar ninando horas)! Ele sempre dormiu à noite no peito, mas de uns meses pra cá as sonecas eram só ninando…juro que fiquei feliz quando voltou a tirar as sonecas no peito! É TÃO mais rápido, prático e eficiente (depois que ele dorme eu tento transferir para a caminha! às vezes dá certo, em outras ele quer ficar fazendo sucção não nutritiva a soneca inteira)! E acreditem: eles são espertos o suficiente para desenvolverem jeitinhos diferentes de dormir e se acalmar com cada cuidador! No dia que eu sai à noite e ele ficou com minha mãe, por exemplo, ela fez ele voltar a dormir tranquilamente do jeito dela…sem nem precisar utilizar o leite que eu tinha deixado ordenhado! 

Ele é um bebê super sorridente e simpático com quase todo mundo, e costuma estranhar apenas homens (nunca vi ele estranhar mulher)! Tem adorado cada dia mais o momento do banho, na mesma proporção que tem detestado cada dia mais sair do banho e vestir roupa (esse momento é um pequeno escândalo diário). 

Amamentação: seguimos em livre demanda e amamentação exclusiva de leite materno e no peito (sem bicos artificiais). Ele mordeu o seio algumas vezes e bastou perceber minha reação de dor e eu falar “Pedro, não morde a mamãe” para ele parar e nunca mais fazer (pelo menos de propósito, às vezes acontece meio sem querer, quando está com sono ou coçando a gengiva). E agora finalmente ele não faz mais cocô de madrugada (como eu ansiava por acabarem as trocas noturnas, sério! rs ) e está fazendo cocô apenas 1x por dia ou a cada 2 dias.

Desenvolvimento: começou a sentar, mas ainda tombava após pouco tempo. Só na virada do mês que isso mudou. Depois que aprendeu a ficar de 4 apoios e ensaiar engatinhar mesmo (ele já se arrastava desde os 4 meses), está “minhocando” menos, e quando quer alcançar algo ele fica de 4, se joga para frente e fica repetindo o movimento até conseguir (nem que com isso ele bata o peito, a cabeça, etc. Por isso só tenho deixado em ambientes acolchoados). 

Sono: começou a fazer mais horas seguidas de sono na primeira pernada (chegava a emendar 5 ou 6 horas desde quando dormia umas 19h30 até 0h30, por exemplo), mas no final do mês esse padrão mudou novamente e agora está irregular. Durante a viagem, longe do ritual do sono que ele estava acostumado e da rotina de casa, senti que ele dormiu até melhor! Isso foi bom para me desapegar do excesso de preocupação com a rotina e com alguns hábitos que já não fazem mais diferença nenhuma (por exemplo, colocar ruído branco, etc).

Nos últimos dias, de forma geral, ele está dormindo mais horas seguidas (parei de olhar o relógio…só sei que acordo menos)! Sua caminha ainda continua em nosso quarto e na maior parte das noites eu levo ele para dormir do meu lado em algum momento (entre mim e a grade). Já amamento deitada e dormimos por lá mesmo, assim otimizamos o tempo. Ele continua acordando alguns dias em horários aleatórios no meio da madrugada com todo gás querendo brincar, escalar, engatinhar etc…e o horário definitivo do despertar, na maioria dos dias, tem sido entre 05:30 e 06h! 

Nesse mês a rotina foi completamente alterada por termos viajado uma semana e por eu ter voltado a trabalhar 2 dias por semana (e estou levando ele comigo, junto com minha mãe)! Tudo isso foi muito bom para todos os envolvidos, rs! Estamos em uma época onde a rotina está hipervalorizada e as pessoas estão deixando de viver para cumprir um script de horários pré definidos! Quantas pessoas me perguntaram o que eu fiz para “manter a rotina” na viagem, sendo que eu viajei justamente para poder sair um pouco da rotina? Entendo que crianças precisem de uma sequência previsível de eventos para aprender a lidar com o mundo de forma menos estressante, mas isso não significa ser escravo de horários, e nem precisa acontecer em 100% dos dias! É bom para a criança aprender a lidar com imprevisibilidades esporádicas (desde que estejam com seus cuidadores de referência e assim se sintam seguras), e melhor ainda para os pais sentirem que a vida continua colorida e cheia de nuances novas a serem exploradas! 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *