6 semanas: a primeira ecografia

Finalmente chegou o dia de fazer a primeira ecografia e a sensação que eu tinha era que eu ainda podia chegar lá e descobrir que foi tudo um sonho e não ter nada ali. Eu sabia que estava grávida e que veria o saco gestacional e a própria vesícula vitelínica, mas ainda estava tensa sobre conseguir ouvir os batimentos cardíacos e poder viajar relaxada (viajei no mesmo dia da ecografia para um Simpósio Internacional de Assistência ao Parto em São Paulo).

E eu que por tantos anos indiquei meus profissionais obstétricos de confiança para as gestantes que eu acompanhava agora estava marcando com eles sendo eu a paciente. Cheguei no consultório do Dr. Luiz Gustavo da clínica CEAF (maravilhoso) e foi exatamente isso que ele disse: “que honra ter você aqui como paciente, depois de centenas de pacientes em comum” (no último parto da esposa dele eu fui a doula que acompanhou, inclusive). Ele começou a consulta como se eu fosse leiga, para que meu companheiro pudesse entender tudo, e explicou todos os detalhes do que nós deveríamos ver hoje.

Assim que ele inseriu o aparelho, lá estavam eles: o saco gestacional (visível após 4 semanas), a vesícula vitelínica (visível após 5 semanas) e o embrião  com apenas 3.5mm (visível a partir da 6 semana). Filmamos aquele coraçãozinho acelerado e nos impressionamos com a tecnologia capaz de identificar aquele grãozinho de lentilha ali dentro e nos mostrar que sim: ele existe mesmo e é real!!

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *