8 semanas: enjôos e outros cuidados

Desde a sexta semana, começou a parte chata disso tudo: os enjôos. Sempre orientei às minhas pacientes que comessem regularmente pequenas porções para que o estômago nunca ficasse vazio e assim o enjôo não se instalasse. Enfim, chegou a minha hora de vivenciar isso na prática! Comer alguma coisa de 2 em 2 horas se tornou estratégia de sobrevivência contra o mal estar! Coitada da minha geladeira. Atualizei meu repertório de lanchinhos saudáveis (e pouco calóricos, se não já sabem onde isso ia parar) e enchi minha bolsa de opções para beliscar toda hora. Infelizmente, na correria do dia a dia – e principalmente quando estou atendendo no consultório – eu acabo esquecendo de comer frequentemente e de vez em quando o enjôo me pega de vez. Receitas contra isso: acupuntura, acupressão, sumo de limão na forminha de gelo, óleo essencial de menta, e por aí vai. Não resolvem completamente, mas ajudam bastante!!! A parte boa de tudo isso é aquilo que eu sempre falava para vocês: embora seja desagradável, o enjôo também é um bom sinal de que os hormônios da gravidez (principalmente a progesterona, tão importante nessa etapa) estão a todo vapor, diminuindo assim a chance de um aborto espontâneo (o que não quer dizer, é claro, que as gestantes que não estão sentindo nada precisam ficar preocupadas)! Algumas pessoas não conseguem se alimentar direito nessa fase, mas eu tenho conseguido comer bem. Mais até do que o normal, porque agora quando eu vejo um buffet de self service, por exemplo, tento montar as combinações certinhas de grãos, leguminosas, verduras e legumes, etc. Embora a fome não duplique, a preocupação com a saúde sim!! E os desejos? eles existem mesmo!!! todo dia um desejo diferente!! ainda bem que no meu caso eles são saudáveis, de modo geral: meu consumo de goiaba e maçã verde triplicou, por exemplo.

Outro sintoma que se intensificou nessa semana foi o cansaço. Eu sempre tive uma rotina intensa de trabalho e assim mantive, mas é inquestionável o quanto a demanda de energia aumenta nesse período. E não é pra menos: o primeiro trimestre é o momento de maior multiplicação celular de toda a gravidez. Imaginem que nesse exato momento estão sendo formados órgãos com funções altamente complexas, ossos, articulações…um novo ser humano inteirinho!!! Se isso não é motivo para deixar qualquer mãe cansada, eu não sei o que é (e a gente já vai se acostumando, pois a exaustão será maior ainda depois que nascer). O fato da cafeína em excesso ser contra indicada na gestação também não ajuda muito. Não sei se vocês sabem, mas a recomendação é de que a gestante não tome mais do que 3 doses de café por dia, e nessa conta devem estar incluídos outros alimentos que contém cafeína, como chás, refrigerantes e chocolate.

Os seios continuam inchados e a barriga começou a ficar saliente. Por mais que o bebê ainda meça poucos centímetros, o útero começa a se distender para acomodar seus novos hóspedes: a placenta que está se formando, a bolsa amniótica, etc. E toda essa distensão provoca também algumas cólicas bem incômodas e bem parecidas com aquele aviso de que a menstruação está para descer. Junto com a oscilação emocional e irritabilidade comuns dessa fase, já deu para perceber o quanto todos esses sintomas têm em comum com a Tensão Pré Menstrual, né? Por isso muitas mulheres cujo ciclo menstrual não é muito regular demoram a descobrir a gravidez!!!

Nessa semana eu voltei a praticar atividade física, liberada pela obstetra (Dra. Rachel Reis) e orientada por algumas especialistas. Na verdade, eu já estava liberada para praticar desde sempre, mas a correria para encontrar um novo apartamento e outras demandas que surgiram após a descoberta da gravidez transformaram isso em minha última prioridade. Continuei fazendo musculação (que eu já fazia), evitando os exercícios que favoreçam o aparecimento da diástase e prestando atenção na frequência cardíaca e temperatura corporal. Cuidando disso, está tudo certo, principalmente numa gestação saudável em que não haja sinais de ameaça de aborto, descolamento de placenta, etc.

Ah, e aproveitando a semana de cuidados, também fui à uma nutricionista (Joana Lucyk) e à uma dermatologista (Dra. Cristina Salaro), ambas com experiência em gestantes. Farei posts específicos e mais detalhados sobre as orientações nutricionais e dermatológicas nessa fase.

 

 

 

Compartilhar

Comment (1)

  • Gessica Reply

    Erica fala dessas cólicas por favor. Estou de 5 semanas (hcg 516) e elas estão me acompanhando contantemente só paro de sentir se deitar. Nao são fortes mas incomodam. Estou gripada e vez por outra espirro forte. Hoje a tarde juntou um espirro com uma colica dessas que pareceu estar esticando meu útero todo! Nossa que dor! Teve até um sangramento borra de café com um pequeno coágulo, preciso antecipar a ida ao médico? Estava esperando fazer as 6 semanas pra começar o pre natal com o ultrasom. É isso mesmo ou devo ir logo?

    agosto 2, 2019 at 2:18 am

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *