ACUPUNTURA GERAL

INDICAÇÕES E CONTRA INDICAÇÕES DA ACUPUNTURA

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a acupuntura é indicada para as seguintes patologias:

· Doenças do Trato Respiratório:
Sinusite; Rinite; Resfriado; Tonsilite; Afecções bronco-pulmonares; Bronquite aguda; Asma brônquica.

· Doenças Oftalmológicas:
Conjuntivite; Retinite central; Miopia (em crianças); Cataratas; Glaucoma.

· Distúrbios da cavidade bucal:
Odontalgias; Dor pós-extração dental; Gengivites; Faringites agudas e crônicas; DTM.

· Distúrbios Gastrintestinais
Espasmos de esôfago e cárdia; Soluços; Gastroptose; Gastrite aguda e crônica; Hiperacidez gástrica; Úlcera duodenal crônica; Colites agudas e crônicas; Disenteria bacteriana aguda; Constipação; Diarréia.

· Distúrbios Ortopédicos, Neurológicos e Dores
Cefaléias; Enxaqueca; Neuralgia do trigêmeo; Paralisia facial; Paralisia Pós-AVC; Neuropatia periférica; Síndrome de Meniere; Disfunção neurogênica da Bexiga Urinária; Enurese noturna; Neuralgia intercostal; Periartrite escápulo umeral; Epicondilite lateral (cotovelo de tenista); Dores Ciáticas; Lombalgias; Dor no joelho; Artrite Reumatóide; Lúpus Eritematoso Sistêmico; Trigemialgias; Fibromialgia; Distensões Musculares.

· Psiquiatria
Distúrbios leves e moderados de Depressão, Angústia, Ansiedade e Insônia.

· Clínicas Diversas
Labirintite; Prisão de Ventre; Fadiga; Stress.

· Ginecologia
Distúrbios Menstruais; Infertilidade; Dismenorréia (cólica menstrual); Amenorréia (ausência de menstruação); Metrorragia (sangramento vaginal anormal); Menorragia (menstruação abundante ou prolongada); Vaginite (corrimento vaginal), etc.

· Outros Benefícios
Aumento da vitalidade e energia;
Redução do estresse e maior relaxamento;
Rejuvenescimento da pele;
Controle do peso;
Livrar-se do fumo, álcool e drogas;
Aumento das funções físicas e atléticas;
Controle de dor;
Regularidade dos batimentos cardíacos e pressão sanguínea;
Estabilização do sistema imunológico.

CONTRA INDICAÇÕES

A acupuntura é considerada bastante segura, pois são raros os efeitos adversos relevantes. Como são utilizadas agulhas descartáveis ou individuais, existe pouco risco de infecção, transmissão de HIV ou hepatite. Ocasionalmente, pequenos sangramentos ou hematomas ocorrem, mas isso é normal! Além disso, deve-se tomar cuidado com o uso da técnica imediatamente após as refeições ou em jejum, nos estados de embriaguez, intoxicação de qualquer espécie, após esforços físicos exaustivos ou relações sexuais, em doentes muito enfraquecidos, após grandes hemorragias, em hemofílicos, no braço de pessoas que retiraram gânglios linfáticos das axilas, em pessoas depauperadas e nos estados de emergências médicas.

QUEM PODE EXERCER ACUPUNTURA NO BRASIL?

No Brasil, ainda não há legislação que regulamente o exercício da acupuntura, e o que existem são apenas alguns Projetos de Lei que ainda não foram aprovados, fazendo com que, por enquanto, qualquer pessoa possa atuar livremente. Além disso, a acupuntura é reconhecida como especialidade e/ou recurso complementar pelos Conselhos Federais de Enfermagem, Fisioterapia, Biomedicina, Fonaudiologia, Educação física, Psicologia, Farmácia, Medicina, etc.

É importante lembrar que, em 2006, o Ministério da Saúde emitiu a Portaria Nº. 971/06, reconhecendo a acupuntura (entre outras práticas) como uma prática que deve ser realizada em nível multiprofissional, e não como exclusividade médica. Neste sentido, a própria Organização Mundial da Saúde (OMS) prescreve a criação de uma regulamentação abrangente e não exclusivista da acupuntura, sendo que em todos os países do mundo (com exceção da Arábia Saudita, Áustria e Dinamarca) a acupuntura é regulamentada como uma prática pertinente a todos os profissionais que lidam com a saúde. Além disso, existem também os cursos técnicos, devidamente reconhecidos pela Secretaria de Educação e pelo MEC.

Apesar da grande polêmica envolvendo o Conselho Federal da Medicina (que gostaria de ter exclusividade sobre a técnica), em 12 de dezembro de 2012, o Conselho Nacional de Saúde (CNS) aprovou o texto da Resolução 463, que normatiza junto à Agência Nacional de Saúde a inclusão da acupuntura como prática multiprofissional no Brasil.