Considerações sobre cama compartilhada

🌟Para ser considerada segura, a CC deve ser feita de forma PLANEJADA, ou seja, atentando para a maneira ideal de ser feita. Não há nada pior que colocar o bebê na sua cama no meio da madrugada por exaustão, mas deixá-lo entre os pais (só a mãe tem sono leve o suficiente), ou correndo o risco de cair da cama ou em vãos na parede, entre cobertores e travesseiros (que aumentam risco de sufocamento, etc). 

🌟Ainda que você não queira fazer cama compartilhada, é provado que o bebê dormir no mesmo quarto com um adulto (ou um dos pais dormir no quarto da criança) no primeiro ano de vida diminui em 50% a chance de síndrome da morte súbita infantil. 

🌟Bebês que dormem com a mãe têm maiores chances de serem amamentados por mais tempo. 

🌟Embora não funcione para todo mundo, em muitos casos a cama compartilhada é capaz de melhorar o sono do binômio mãe-bebê, pois ainda que o bebê desperte mais vezes (para mamar, por exemplo), os despertares não chegam a ser completos. Quando o bebê dorme em outro quarto e a mãe precisa se levantar e sentar em uma poltrona, ela desperta completamente e o bebê também, uma vez que ele precisa chorar mais alto para que a mãe atenda.

▶️Para saber mais sobre as medidas de segurança da CC, sugiro procurar o post da @umamaepediatra sobre esse assunto! Ele também está linkado não meus destaques “sono”. 

E por aí, você já fez a experiência de cama compartilhada com seu bebê? Como foi?

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *