Métodos naturais de indução do parto

É só a mulher engravidar que começam os palpites: não pode comer canela ou gengibre, não pode fazer acupuntura, não pode apertar o ponto “tal” da massagem…como se perder o bebê ou sofrer um parto prematuro dependesse de tão pouca coisa assim! Eu sempre explico que, mesmo quando temos um bebê de 41 semanas e há indicação de estimular esse parto, nós (profissionais da saúde) ralamos com TODOS os recursos que temos por vários dias e muitas vezes eles sequer funcionam!

Ou seja, numa gestação de risco habitual, você pode colocar canela e gengibre nas suas preparações ao longo da gravidez, pode fazer acupuntura com profissional experiente, pode ter relações sexuais, pode praticar exercício físico e etc! E se lá na frente, próximo ao prazo estipulado pelo profissional que te acompanha (lembrando que uma gestação de baixo risco pode ir até 42 semanas) ou se por qualquer razão médica for interessante estimular o nascimento (por ex: diabetes gestacional, pressão alta, bolsa rota sem contrações, etc), aí sim você pode usar alguns recursos a seu favor (da maneira correta e com o aval da sua equipe médica) antes de partir p/ outros tipos de indução mais invasivas como descolamento de membranas, sonda de foley, ocitocina e prostaglandinas. 

Um chá de canela não irá estimular seu parto se você não está sentindo nada! Mas uma receitinha ancestral de chá de canela + gengibre + cravo + cacau + alecrim + pimenta do reino pode ajudar a intensificar contrações que já existem mas ainda são irregulares, por ex! Acupuntura só irá estimular o parto se for feito um protocolo específico p/ isso e se o organismo da mulher já tiver os receptores necessários, o que só acontece quando o bebê está pronto p/ nascer. Alguns óleos, atividade sexual, agachamentos, estimular os mamilos: nada disso irá funcionar se fisiologicamente não for p/ o bebê nascer por aqueles dias. Não se cria um parto “do nada” com 39 semanas apenas pq você cansou de estar gestante, se o seu bebê ainda não estiver maduro. Mas se estiver faltando só um empurrãozinho, PODE SER que esses conhecimentos ancestrais ajudem a engrenar o trabalho de parto! 

Use com sabedoria!

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *